Vigilância sanitária: como passar pela fiscalização sem problemas?

Vigilância sanitária: algumas dicas para passar pela fiscalização sem problemas

Dentre muitas preocupações nos empreendimentos, a vigilância sanitária costuma revelar alguns problemas.

Quem está à frente dos negócios sabe como é indispensável seguir uma série de normas e rotinas, para evitar dores de cabeça e prejuízos.

E, como a inspeção é realizada de surpresa, não há melhor maneira de evitar penalidades, senão agir preventivamente.

Quer saber como passar pela vigilância sanitária sem problemas? Confira conosco algumas dicas:

Estabelecimento empresarial x vigilância sanitária

Uma das principais exigências de Vigilância Sanitária é adequação entre o imóvel e o tipo de atividade.

O empreendimento deve funcionar no zoneamento autorizado, sobretudo no caso dos estabelecimentos de atividade alimentícia.

Aliás, essa é uma das exigências para emissão do alvará de funcionamento.

Ademais, para manter a licença sanitária em dia, é preciso que o imóvel passe pela vistoria do Corpo de Bombeiros.

Isso quer dizer que instalações elétricas e hidráulicas, saídas e demais pontos de segurança devem demonstrar pleno funcionamento e adequação.

Sem isso, você não conseguirá a autorização do CB para funcionar de maneira regular.

Mas não é só a estrutura do imóvel que importa – o modo como sua atividade é desenvolvida também deve ser analisado.

Armazenamento de produtos

Quem trabalha com mercadorias sabe que cada produto tem suas particularidades.

Produtos de limpeza, por exemplo, podem oferecer risco à saúde, por conta de agentes químicos etc.

Por isso, eles devem ser regularizados junto à Vigilância Sanitária e armazenados corretamente — longe de quaisquer alimentos.

O mesmo vale para outros tóxicos, principalmente aqueles relacionados à dedetização.

Os alimentos, por sua vez, sofrem degradação e ficam inutilizáveis se guardados inapropriadamente.

Portanto, se você trabalha com estoque, fique de olho na validade e na climatização (calor, umidade etc).

Produtos perecíveis geralmente não podem ficar mais de 2 horas sem refrigeração!

O ideal é que eles sejam mantidos em temperatura aproximada de 5ºC (até 5 dias); os cozidos e quentes, em temperaturas em torno de 60ºC (até 6 horas).

Reservatório de água

Você já parou para ver as condições como os recursos hídricos são armazenados e tratados na sua empresa?

As caixas d’água não podem apresentar rachaduras, vazamentos ou emendas, e não pode faltar a tampa.

Além disso, a água não pode ter contato com qualquer tipo de agente contaminante!

Quando utilizada água de poço, é indicado que você realize análise de qualidade, pelo menos a cada 6 meses.

A água utilizada para limpeza, preparação de alimentos ou ingestão deve ser corrente e tratada.

Também há regras para os utensílios e equipamentos: sempre lisos, impermeáveis, laváveis, em quantidade suficiente para a realização das atividades (água fria e quente).

Ventilação e iluminação

Outro ponto a ser destacado é que a vigilância sanitária abrange também o ambiente de trabalho.

A ventilação e a iluminação são fiscalizadas – e frequentemente apresentam problemas perante a legislação.

Os ambientes internos precisam oferecer conforto térmico, e a ventilação deve circular das “áreas limpas” em direção às “áreas sujas”.

O mesmo vale para o depósito, que precisa contar ainda com aberturas teladas.

Vigilância sanitária: como se adequar à fiscalização?

É indispensável que todo o estabelecimento mantenha-se higienizado e organizado.

Realizar limpezas periódicas e cuidar do armazenamento e descarte do lixo são ações imprescindíveis.

As lixeiras precisam ter tampas e pedais, bem como estar disponíveis nos locais necessários.

Não se esqueça que a higiene também diz respeito à situação dos funcionários.

Os ambientes e as fardas deve estar higienizados, para preservar boas condições de saúde, tanto dos funcionários quanto dos clientes.

Um dica: aqueles que manuseiam os alimentos não podem ter contato, por exemplo, com dinheiro.

Enfim, para passar tranquilamente por alguma inspeção de Vigilância Sanitária basta seguir as recomendações e não descuidar das regras básicas.

Lembre-se: para cada tipo de negócio, há regulamentação específica.

Se tiver dúvidas, e quiser evitar problemas, você pode sempre procurar uma consultoria jurídica.

Assim, é possível ficar por dentro da legislação e garantir a solução ideal para o seu empreendimento.

***

Agora que você já sabe como evitar os problemas com a Vigilância Sanitária, aproveite para conferir as dúvidas mais comuns de quem vai montar uma empresa.

***

Continue conosco, siga-nos nas redes sociais e compartilhe o conhecimento!