Conflitos societários: entraves no futuro da empresa

Conflitos societários: entraves no futuro da empresa

Você reconhece os conflitos societários que ocorrem dentro da sua empresa?

Eles podem estar atrasando o desenvolvimento dos negócios.

Mas como evitar que o desentendimento entre os administradores atinja nível tão intenso, a ponto de causar grandes prejuízos ou até mesmo levar a companhia à falência?

Assim como os diversos desafios empresariais do dia a dia, esses problemas também devem ser solucionados.

Neste post tentaremos esclarecer tudo sobre conflitos societários e quais são os meios jurídicos de superá-los! Acompanhe!

O que são conflitos societários?

São basicamente quaisquer entraves gerados entres os próprio sócios da organização empresarial.

Apesar do conceito bem amplo, trazemos uma lista de exemplos:

  • confrontos na integralização do capital
  • instabilidade na vinculação dos sócios
  • falta com os deveres de diligência
  • quebra de lealdade e probidade
  • disputa relativa às deliberações
  • cometimento de atos ilegais por algum sócio

Além das dores de cabeça causadas a todos os membros, a empresa é sempre quem arca com os maiores prejuízos, sofrendo os reflexos das (in)decisões dos sócios.

Onde costumam acontecer?

Apesar dos conflitos acontecerem em companhias de qualquer estrutura (sociedades anônimas, limitadas etc.), certos tipos de negócios, como empresas familiares, acabam sofrendo com inúmeras divergências internas.

Nesses casos, a informalidade administrativa, no início, não costuma gerar problemas, pois são empresas constituídas a partir duma base de confiança mútua e vínculos afetivos.

Porém, administrar e gerir uma empresa não é uma atividade simples. Requer dedicação, responsabilidade e, principalmente, organização.

Se os administradores não possuíram pautas e regras sólidas, erros são inevitáveis.

Não havendo rigidez e transparência, alguns membros, com o tempo, passam a descumprir obrigações, ou intrigas pessoais começam a ser trazidas para reuniões, o que torna as decisões difíceis de serem acordadas.

A situação complica ainda mais, por exemplo, quando entram novos sócios, ou investidores, que não possuem a mesma relação familiar com os demais, o que pode gerar tratamentos diferenciados entre os diretores.

Como isso prejudica o futuro da empresa?

Com o passar do tempo, pequenos conflitos tornam-se grandes obstáculos para o desenvolvimento do negócio.

Os custos gerados pelo litígio, ademais, influenciam nos recursos da entidade, no saldo dos resultados econômicos e, consequentemente, no retorno financeiro.

E, quando vão parar na justiça, os conflitos ainda geram gastos com custas processuais, honorários etc.

Isso sem contar a insegurança institucional que é criada, pois as decisões centrais passam a ser judicializadas, e levarão muito tempo para serem definitivas.

Como solucionar esse problema?

Mas nem tudo é desespero!

Identificado o problema, o primeiro passo é buscar auxílio profissional.

Apesar dos adversidades, as soluções para as disputas entre os sócios costumam ser muito eficazes – e extrajudiciais.

As principais são a mediação, a conciliação e a arbitragem.

A mediação é um procedimento que visa à aproximação entre as partes, com data e local de reunião já sugeridos, e conduzido pelo mediador, para que os sócios compreendam o conflito e possam resolvê-lo.

Já a conciliação configura o ato intermediado por um terceiro, que conduz os sócios à negociação, até o ponto de selarem uma decisão, cada um abrindo mão de alguma parte da sua pretensão, para encerrar a disputa.

Na arbitragem, um terceiro é escolhido pelas partes, faz a análise de todos os fatos e argumentos expostos na reunião e, como um juiz, decide o caso sozinho.

Arbitragem empresarial

Por uma questão de imparcialidade e confiança, o árbitro certamente não deve ter relação pessoal com qualquer das partes.

Aliás, é recomendável que elas elejam um profissional jurídico, capacitado e preparado para exercer tal papel, isto é, que tenha conhecimento técnico dos métodos de solução de disputas.

É certo que conflitos societários podem prejudicar drasticamente o futuro da empresa. Mas, como visto, existem meios técnicos e inteligentes para resolver tais problemas.

Você sabia que a arbitragem é o método mais utilizado para solucionar conflitos no meio empresarial, mundo afora?

Tem sido reconhecida como a forma mais justa, barata e segura de garantir soluções e economia para as empresas.

***

Quer saber ainda mais sobre questões societárias? Siga-nos nas redes sociais e compartilhe o conhecimento!